3.3.10

queer theory

não ando nada mal comigo própria. durante o dia conversamos por tudo e por nada; há momentos em que nos rimos uma com a outra e uma da outra; por vezes até nos trocamos: eu faço de "outra" e outra faz de "eu". no grande silêncio da noite, o fogo aceso na sala, sento-me calada no sofá azul-desbotado a fazer companhia a mim própria. 

2 comments:

  1. 'lindo. isso é poesia, gv querida. e que ritmo bem esgalhado o da última frase' - diz-me a clara que te diga, olhos brilhantes de enlevo e admiração.

    ReplyDelete
  2. Sinto-te tão borgiana num mundo de espelhos dentro de espelhos

    ReplyDelete

Note: only a member of this blog may post a comment.