11.7.09

délices de la solitude

dei início, já há algum tempo, ao programa nocturno "dormir a sua casa"  que me ajuda a manter  algum equilíbrio mental nas horas, sempre incertas que vão do anoitecer ao amanhecer. simples e económico,  quase tipo ovo de colombo, o programa consiste em passar algumas noites nos quartos da casa que não são "o meu". 
hoje, por exemplo, dormi no quarto dos netos (cuja cama de casal acolhe os seis deitados ao atravessado) onde tenho o sol em directo logo pela manhã e, durante a noite, a companhia indirecta da rua. 
para a semana voltarei ao chamado "quarto de visitas", em cuja cama (dos meus pais) tenho acesso tanto ao verde da horta como ao azul  do iphone, esse doce mas infiel companheiro das noites.   

10.7.09

idéia divertida


de martin jacques (colunista do guardian): pelo facto de as características, atitudes e valores da civilização chinesa serem muito anteriores à existência do país como estado-nação, faria mais sentido olharmos para a china como estado-civilização (do que como estado-nação).

frase incomestível

portugal transpira maritimidade
ouvida a uma desgraçada qualquer falando numa tvi  qualquer

to remember

Eu sou devedor à terra
A terra me está devendo,
A terra paga-me em vida
Eu pago à terra em morrendo.

flor comestível

Princess Iron Fan (铁扇公主)

produced by the Wan brothers (Wan Laiming (萬籟鳴 e Wan Guchan 萬古蟾) in the midst of war, this is the first feature length animation made in China.

obrigada helena lopes!



8.7.09

o eu como erva daninha

é um amigo de olhos claros e modos suaves, entre os 40 e os 50 anos, que na juventude foi pescador,  em adulto vendedor e distribuidor de marisco (sonhando comprar uma marisqueira) e agora, na meia idade, cultiva, com alegria e sabedoria, uma pequena horta (projectando voltar a estudar para, via novas oportunidades, aprender a ser padeiro assim podendo vir a abrir uma pequena fábrica de pão).
este amigo, como tantos outr@s, é descasado de dois casamentos que no entanto já lhe renderam quatro filhos, dois já grandes e duas ainda pequenas que vivem com ele. 
a conversa prolongou-se pela tarde fora e misturou a cultura da terra com a cultura da família:  à leitura do gorgulho (revista da associação "colher para semear" da qual ele é sócio activo),  juntou-se a troca de informações sobre a germinação de sementes, as vantagens do cultivo das leguminosas (que 'azotam' a terra e eu tenho chícharo) com a partilha de experiências sobre a transformação  dos meios-irmãos em todos-irmãos e a expansão da família (estilo família em aberto ou família aberta) com base no que sobra do passado e do que aparece no presente). 
é neste contexto que a certa altura ele refere a sua convicção de que é aos mais velhos que compete a transmissão da cultura aos mais novos, fala na preocupação que tem com a educação das filhas e me diz da pena que sente por "nada ter para lhes dar". 
é neste contexto que descubro um grande respeito por esta pessoa, com olhos claros de pescador e modos suaves de agricultor, e digo alto (tanto para ela como para mim): "não sei se haverá alguma coisa melhor que se possa transmitir a um filho do que esse seu sentimento de humildade".
a humildade de saber que pouco ou nada se tem para dar a uma pessoa em formação para além da própria noção de humildade pessoal, da importância da redução do ego na construção da vida.

7.7.09

com este post arrisco-me a perder todos os leitores e até talvez alguns amigos...

o que eu adorei ler aqui que há mais pessoas no mundo que não vão ao psiquiatra mas que também só saem de casa uma vez por semana. e que também assistem apenas à abertura do telejornal para "ver se aconteceu alguma coisa".  e que, e que, até que não votam e aí páram os que.  
eu bem sei que trata da filomena mónica que muitos (a maioria) dos meus poucos leitores odeiam com paixão. e com um dos quais (juro que não sei qual) discuti há pouco tempo se se tratava, actualmente, de uma pessoa de direita ou de esquerda. sendo que eu a "defendia" com fervor assegurando que ela era uma mulher ideologicamente de esquerda e o meu interlocutor a "atacava"  com horror remetendo-a para a direita política.

6.7.09

today's world

entre o estádio bernabeu em madrid e o staples center em los angeles. 
nos dois locais parece prevalecer o género feminino e a idade jovem.
ora batatas. 

5.7.09

liberdade

Ai que prazer é 
não cumprir um dever.

Ter um livro para ler
e não o fazer!

Ler é maçada,
estudar é nada.

O sol doira sem literatura.

O rio corre bem ou mal,

sem edição original.

E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal

como tem tempo, não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.

Estudar é uma coisa em que está indistinta

A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.

Esperar por D. Sebastião,

Quer venha ou não! 


Grande é a poesia, a bondade e as danças...

Mas o melhor do mundo são as crianças,

Flores, música, o luar, e o sol que peca

Só quando, em vez de criar, seca. 


E mais do que isto

É Jesus Cristo,

Que não sabia nada de finanças,

Nem consta que tivesse biblioteca...