7.3.10

frase comprida

a minha avó, quando achava apropriado meditar sobre a impermanência, em vez de aproveitar os seus recursos, naturais ou adquiridos logo na primeira infância – uma hipocondria que tantas vez a punha doente e um pavor desproporcionado da morte, causa principal dos muitos sofrimentos por que padeceu em vida – mandava colocar aos pés da sua cama, uma antiga arca para moldes de chapéu, cuja forma, estreita e comprida, lhe lembrava um caixão de pessoa só.
anónimo

3 comments:

  1. Cá para mim o medo da morte é o pai/mãe de todos os medos.A avó seria apenas um pouco fundamentalista...os caixões para mais de uma pessoa destinam-se a que atividades? contrditório!
    fj

    ReplyDelete
  2. boa fj! :-))
    parece-me que essa avó era danada p'á brincadeira...

    ReplyDelete
  3. fj: ao repouso eterno
    tinóni: sim, era uma senhora dada aos diversos prazeres que o criador oferece às criaturas

    ReplyDelete

Note: only a member of this blog may post a comment.