4.12.10

no meu bestiário

toma agora forma o cão - não o animal grande e repousado, repousante, dos meus sonhos, mas uma coisa pequena, agitada e mordedora. que não pára de me morder os dedos dos pés, debaixo da mesa onde janta, alargada (e aknowledged) a família.

No comments:

Post a Comment

Note: only a member of this blog may post a comment.