30.11.10

habitus linguístico(s)

habito com gosto as línguas que falo e leio. é exactamente por as habitar que posso dizer, sem escândalo, que sim, são minhas todas as línguas cuja sonoridade me fala, todas as línguas cujo código escrito faço falar. afinal, se nem a língua materna é nossa por que razão não hão-de ser nossas as línguas (em) que habitamos? 

No comments:

Post a Comment

Note: only a member of this blog may post a comment.