5.1.10

T: a memória (3)

se quase tudo o que já (me) fez sentido deixou, num ou noutro momento, de o fazer, faz todo o sentido que aquilo que ainda o tem possa também vir a perdê-lo. parece ser apenas uma questão de tempo.

4 comments:

  1. Post muito relevante e oportuno. Em geral já lá estamos,entregues ao tempo rumo aos fins, variaveis de pessoa para pessoa.e esta porra de já não haver milagres tira a coragem de (tentar)procurar outras soluções. fj

    ReplyDelete
  2. goza, goza fj... o gozo. que nunca perde o sentido, é sempre oportuno e pertinente.

    ReplyDelete
  3. Não é gozo, não podia ser mais a sério.Fatima ocorreu-me pk teorizava intriorment sobre o pk do Caim não ter feito grande escândalo com a igreja, atitude muito inteligente, o livro não será anti monoteismos, mas a monoteista, e aí já falham os argumentos.Tudo muito a sério.

    ReplyDelete
  4. ENVIADA POR EMAIL POR brrr QUE, POR RAZÕES DESCONHECIDAS, NÃO CONSEGUIU POSTAR AS RIMAS DA SUA RIMADORA

    a rimadora a rima adora:

    muito que já me fez sentido
    deixou um dia de o fazer,
    o que me ainda faz sentido
    corre o risco de o perder.

    de tempo é toda a questão?
    o tempo é só que tudo faz?
    se tudo o mais é em vão
    volta ó tempo para trás?

    mas não será tudo e sempre uma questão de tempo? - dizem-me, estereofónicos, o sinuoso efe diplomata às vezes e a clara clara encantadora sempre. por mim, acho que até lhes dou razão, mas digo brrr para disfarçar - e continuo a pensar em quem pensei desde que li o post, um tal que dizia:

    Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
    Muda-se o ser, muda-se a confiança;
    Todo o mundo é composto de mudança,
    Tomando sempre nova qualidades.

    O tempo cobre o chão de verde manto,
    Que já coberto foi de neve fria,
    E em mim converte em choro o doce canto.

    ReplyDelete

Note: only a member of this blog may post a comment.