9.12.09

encarcerada na flexão verbal


há muitos anos e num local distante, um vulgar lápis subitamente atirado à minha cabeça só não mudou a história porque eu não * à altura dela.

* só em fantasma posso usar o verbo: o imperfeito  'estava' acentua que agora 'estou' (uma vã glória) e o perfeito 'estive' omite que agora 'estou' (glória em vão).  

5 comments:

  1. Ainda não lhe disse que aprecio muito as suas notas de rodapé, as quais, de resto, e se não me leva a mal a interpretação, me parece relevarem da mesma consciência (algo angustiada?) que a leva a recorrer tanto a parêntesis, reticências, interpolações várias. Como se a GV sentisse que a escrita nunca diz tudo o que ela tem para dizer ou diz sempre ao lado do que ela quer dizer.
    Pelo +assi+ anterior, resultado de gesto precipitado meu, peço as minhas desculpas ao tinoni e à dona da casa. Ia, efectivamente, escrever um comentário de que o assim era a primeira palavra mas depois inibi-me comigo próprio e irritei-me com o pc, acabando por desistir. Mais tarde já não vinha a propósito.

    ReplyDelete
  2. é magnífica (bem, não exageremos, 'muito boa' talvez...e já vai com sorte) a análise que faz o senhor(?) josé. acho que concordo...e deve ser por isso (porque concordo) que a acho boa, a análise, e muito boa a gv - isto penso eu de que...sem certeza nem originalidade nenhumas. original foi o pessoa que, em lugar de sinais gráficos, criou 72 heterónimos por onde despejar as suas incertezas e hesitações. era um génio o pessoa. e a gv, repito-me, é muito boa.

    ReplyDelete
  3. josé: eu até em listas de supermercado uso notas de rodapé... quanto à parentisação, é verdade que não me é fácil afirmar (me) sem (me) parentisar. já a reticência deve ser o meu principal defeito.
    brrr: ao teu olhar afiado devo ter arruinado a bondade que viste na análise do zm... encarceras-me no pessoa mal me começas a ler, o que é que eu posso fazer?

    ReplyDelete
  4. arruinada nada.
    intervenção minha foi e é de elogio e admiração persistentes. comparação com pessoa vai nesse sentido, não arruina ninguém, antes pelo contrário. encarcerada em pessoa é dispor de 72 vias de expressão e não rima com ruina, digo, com arruinação coisa nehuma (rima/ruina até rimavam um pouco, tive que mudar). enfim, brrr.

    ReplyDelete
  5. ruína, claro, com o devido acento agudo no i, antes e depois do acordo ortográfico.

    ReplyDelete

Note: only a member of this blog may post a comment.