7.12.09

depois da queda das chaves no boeiro

a prudência recomendava a mudança dos canhões ...



4 comments:

  1. nada pior para mim do q me deparar com uma palavra desconhecida. o dicionário nunca está ao lado. procuro na net q tenho ao colo. népias! finalmente qdo já não aguento mais o desespero pela minha ignorância, i.e. quase 1 semana dp, lá vou em busca da palavra que nunca se me atravessou na vida.
    pelos vistos tb nunca se atravessou nas mentes dos sábios da Academia! népias tb!
    volto a levantar-me, atravesso a casa um pouco encanitada e pego no Cândido d Figueiredo recebido em herança de avô letrado. eureka! o Cândido tem a palavra. entusiasmo de pouca dura. tiro ao mar (batalha naval, lembras-t?).
    e a palavra é (pausa "suspensiva"): BOEIRO. sg o já bi-citado Cândido é um pássaro, o mesmo q patagarro. algo está errado. ou as chaves foram engulidas pelo tal patagarro(lindo nome) ou o boeiro é neologismo ou erro d um dos operários das cantigas de natal! roga-s vexas esclarecimentos a fim d o meu espírito descansar.

    ReplyDelete
  2. possuída por uma descontrolada obsessão consultei a bisneta do avô letrada para q visse se ínsigne Aurélio tinha o tal de boeiro, pois poderia ser palavra usada no Brasil. pois tb não. népias!
    aguardo com sufoco esclarecimentos q não chegam.

    ReplyDelete
  3. quereis deixar-m neste impasse sem resposta? ou não sabeis? ou esperais q confúcio vos ilumine? ou, ou, ou?

    ReplyDelete
  4. obrigada por imagens explícitas

    ReplyDelete

Note: only a member of this blog may post a comment.