31.12.10

anos e anos

vivo o último dia do ano que está para partir como gostaria de viver os dias do ano que está para chegar. tão importante quanto o celebrado dia de ano novo é, para mim, o (meu) dia de ano velho. neste dia da anual transição, gosto de pensar nas pessoas nas quais quero continuar a pensar para o ano; gosto de ver os amigos que quero continuar a ver, de fazer as pequenas coisas com que gosto de fazer a grande coisa que é vida de cada qual; gosto de ler, ou de ouvir, ou de vestir,  aquilo que quero continuar a ler, ouvir e vestir no ano seguinte.
não sou dos entusiasmados que à meia noite batem panelas para correr com o ano velho assim festejando a chegada do ano novo; pertenço ao grupo dos melancólicos que se despedem, com lágrimas e suspiros, do ano que termina. independentemente do que nele se passou, eu envolvo-me, e muito, com o ano que estou a viver - não quero, de um dia para o outro, ficar inteiramente sem ele.
é por isso tudo que gosto de olhar para a passagem de ano mais como uma lenta transformação - de um ano noutro - do que como uma súbita mudança - de um ano velho por um ano novo.

5 comments:

  1. Subscrevo!
    Que em 365 ou 366 dias, sei lá!, tenhas maioritariamente coisas agradáveis a recordar!
    See you next year! :)
    "e la nave va..."

    ReplyDelete
  2. eu, brrr, bem quis entrar logo na conversa mas não soube, nético nulo que sou, usar pra isso o i-phone. era uma coisa ± em forma de assim:
    junto-me (gosto sempre) à mais brilhante (até porque única hoje aqui) das conversadoras para te desejar que curtas bem, em cada instante, este novo ano em que o velho se transformou (bela ideia a tua) e todos os outros anos - muitos mas curtos, hélas! - que se te seguirem.
    brrr

    ReplyDelete
  3. obrigada meus amigos fidelíssimos!
    desejo-vos que consigam ouvir a música de 2011 para ao seu ritmo poderem dançar a vosso belo prazer. digo, viver.

    ReplyDelete
  4. atão não é q sou amiga fidelíssima de um@ anónim@?

    prontos... mais bale isso do q nada! obrigada!

    ReplyDelete
  5. sabendo eu, brrr, quem vós sois, minhas queridas tinòni e (falsa) anónima, aceito deleitado o epíteto de "fidelíssimo amigo" com que esta última me brinda - e amigo fiel, de ambas, me declaro. (fidelíssimo será demais: qualquer 'íssimo' implica absolutos que me não dão jeito e rejeito, de tão TÃO relativo brrr que sou).

    ReplyDelete

Note: only a member of this blog may post a comment.