23.4.10

severinas retirantes*

uma tem a forma e o comportamento de um bebé recém nascido que, quando não está a engolir a papa, está ferrado a dormir, muito sossegadinho no seu pequeno berço esverdeado.
outra, já rapariga-mulher, sempre imóvelmente alongada na cama branca, a trança preta repousante em cabelo de cinza, espera pelo beijo do príncipe desconhecido que a acordará, finalmente para não voltar nunca mais a adormecer.
a terceira é uma menina assustada, olhos de susto azul,  boca rosada sempre entreaberta, só com dois dentes, inúteis, espetados para a frente, e um velo cabelo encarapinhadamente branco - de boneca.

 * cujas vozes caladas, depois da partida culpada dos filhos, atravessam a noite do tempo entoando em silêncio solene o refrão que vos compete: morremos de morte igual, mesma morte severina

No comments:

Post a Comment

Note: only a member of this blog may post a comment.