21.2.10

por voz alheia

é-me dado re-elaborar as velhas angústias e as culpas antigas de que se faz, e sempre se renova, a imensa complexidade dos meus sentimentos perante os sentimentos (irremediavelmente) alheios.

6 comments:

  1. diz-me a clara que te diga que te ama, e que as angústias dela as pensa iguais ou similares às angústias tuas ou da câncio, e que to diga em seu e meu nome, brrr, e não em nome do efe - distraído sempre, presumido às vezes - nem da vg raivosa. a clara diz compreender te bem, angústias e culpas à mistura, face à impossibilidade de entrar no ser dos outros. e diz me que te diga mais, brrr imodesto também, que o cândido sou eu. (parece-me imodéstia parva de mais, mas obedeci e disse). brrr

    ReplyDelete
  2. faltou algo na primeira frase:
    'diz me a clara que te diga que te ama, IRMÃ GÉMEA TUA QUE SE CRÊ ' ...

    ReplyDelete
  3. há por aí algum géme@ para me fazer uma declaração... nem que seja de impostos?

    ReplyDelete
  4. falaram-me de alguém, tinoni querida, que gémeo não será (mais anti-génio talvez) mas que terá vindo a fazer-te desde há pràí 46 anos todas as declarações: de falência-quase algumas vezes, de impostos e de amor sempre... brrr

    ReplyDelete
  5. 46 anos? género... pescada que antes de o ser já o era, brrr?
    senhor, senhor... tende piedade de nós! ;-)

    ReplyDelete
  6. tinòni mêmaisquetudo,
    o alguém de quem me falaram era o teu pai… e foi tua mãe que me falou! 46 anos, não sei. ah! antigénio não tem hífen.
    melhor assim?

    ReplyDelete

Note: only a member of this blog may post a comment.